UX = SEMIÓTICA AFIADA!
Quando falamos em UX, pensando na necessidade do usuário baseada no contexto de uma interface onde tudo se baseia no compreendimento do mesmo, temos de falar na semiótica, o que seria isso? Como definimos?
Indo ao ponto crítico da coisa, semiótica é um sistema de estudo que baseia tudo em sígnos, símbolos ou seja, sistema de significação, onde, tudo se resume em imagens, que podemos chamar de Ícones.
Quando aprofundamos, chegamos ao ponto “X” da questão, a relação da Semiótica e o Design, bom, isso seria um desabafo (rs), pois, a profissão de Design, acabou se popularizando, quero acreditar que não seja por causa da novela, mas, ficou um tanto quanto comum, tipo, profissões do futuro, e isso acabou difundindo e complexando muito o termo profissional da área, pois, geralmente a galera acaba vinculando Design com qualquer tipo de ilustração, tipo, você é designer, tem que saber desenhar, MAS NÃO!
Mas, onde entra semiótica? Bom, tecnicamente, conceitualmente e praticamente, semiótica passa por uma fase de planejamento, onde segundo Charles Sanders (pioneiro na área) temos que entrar no desenvolvimento três propriedades básicas que correspondem a três elementos formais que relacionam com qualquer tipo de experiência, são as categorias:  Qualidade • Relação/Reação • Representação, ou seja, voltamos ao ponto onde, nada se baseia apenas em um desenho, e sim, um objeto cujo foco é passar um respectivo significado diante de um problema. Simples.


Ou seja, vale muito mais apena, você focar no planejamento (que seria realmente aplicar o design) do que na arte. Repita comigo: Design é planejamento/projeto e não desenho.

Para chegar a esses pontos que citei, temos a fase de projeto, que podemos denominar como: Analítica, seria aqui onde você irá fazer a analise do projeto (novamente) e irá identificar o problema, ou seja, vai rolar um briefing galeraaa. Depois, vamos para Criativa, o que usamos como base a analise anterior para gerar o conceito criativo, que podemos, criar ideias e propostas em cima do problema identificado e enfim, Executiva, que executamos de acordo com todos os conceitos identificados e finalizando o projeto para sanar de vez o problema.


Tudo isso parte do principio de desenvolvimento de grandes profissionais da área, como Frascara, Bürdek, Munari.


Enfim, fica meu apelo, se puder, repita denovo, design é planejamento/projeto e não apenas um desenho colorido.


@karuandg

UX = SEMIÓTICA AFIADA!

Quando falamos em UX, pensando na necessidade do usuário baseada no contexto de uma interface onde tudo se baseia no compreendimento do mesmo, temos de falar na semiótica, o que seria isso? Como definimos?

Indo ao ponto crítico da coisa, semiótica é um sistema de estudo que baseia tudo em sígnos, símbolos ou seja, sistema de significação, onde, tudo se resume em imagens, que podemos chamar de Ícones.

Quando aprofundamos, chegamos ao ponto “X” da questão, a relação da Semiótica e o Design, bom, isso seria um desabafo (rs), pois, a profissão de Design, acabou se popularizando, quero acreditar que não seja por causa da novela, mas, ficou um tanto quanto comum, tipo, profissões do futuro, e isso acabou difundindo e complexando muito o termo profissional da área, pois, geralmente a galera acaba vinculando Design com qualquer tipo de ilustração, tipo, você é designer, tem que saber desenhar, MAS NÃO!

Mas, onde entra semiótica? Bom, tecnicamente, conceitualmente e praticamente, semiótica passa por uma fase de planejamento, onde segundo Charles Sanders (pioneiro na área) temos que entrar no desenvolvimento três propriedades básicas que correspondem a três elementos formais que relacionam com qualquer tipo de experiência, são as categorias:  Qualidade • Relação/Reação • Representação, ou seja, voltamos ao ponto onde, nada se baseia apenas em um desenho, e sim, um objeto cujo foco é passar um respectivo significado diante de um problema. Simples.
Ou seja, vale muito mais apena, você focar no planejamento (que seria realmente aplicar o design) do que na arte. Repita comigo: Design é planejamento/projeto e não desenho.
Para chegar a esses pontos que citei, temos a fase de projeto, que podemos denominar como: Analítica, seria aqui onde você irá fazer a analise do projeto (novamente) e irá identificar o problema, ou seja, vai rolar um briefing galeraaa. Depois, vamos para Criativa, o que usamos como base a analise anterior para gerar o conceito criativo, que podemos, criar ideias e propostas em cima do problema identificado e enfim, Executiva, que executamos de acordo com todos os conceitos identificados e finalizando o projeto para sanar de vez o problema.
Tudo isso parte do principio de desenvolvimento de grandes profissionais da área, como Frascara, Bürdek, Munari.
Enfim, fica meu apelo, se puder, repita denovo, design é planejamento/projeto e não apenas um desenho colorido.
@karuandg
  1. ideiasaparte publicou esta postagem